BOAS VINDAS

A idéia deste blog é a criação de um espaço para o questionamento de duas grandes forças das ideologias atuais: o Capitalismo e o Socialismo. Que, senão são coincidentes,não são também totalmente opostas. Terceira Via é nada menos do que uma Resultante dessas duas forças. Abrindo assim, um campo para o existência de uma opção, que não é uma coisa nem outra e ao mesmo tempo são as duas coisas. Eu acredito muito nessa vertente, como alternativa para convergir anseios de ambas as correntes. Num olhar metodológico, poderiamos enxergar essa possibilidade como uma demonstração empírica da dialética. Enquanto o Capitalismo está mais associado ao racional, à eficiência, à lógica; o Socialismo está mais associado ao nosso cognitivo, à sensibilidade, sentimentos, percepções, etc. Acredito ainda, que só a Democracia viabiliza essa vertente. A Ditadura, sem dúvida, enviesará para o socialismo ou para o capitalismo radical. ENTÃO SEJA BEM VINDO, COLOCANDO SUA CONTRIBUIÇÕES, SUAS IDÉIAS, SUAS DÚVIDAS, ETC. (Paulo Franco)

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Derrota da sociedade, na aprovação da PEC 55, exige reflexões e mudanças

por Paulo Franco


Está passando da hora de "cair a ficha"  dos partidos, dos políticos, dos militantes que se opõem ao golpe e ao governo ilegitimo. 
A votação no Senado hoje, não é diferente das votações que já aconteceram anteriormente, desde a fatídica votação do impeachment na Câmara dos Deputados. 

O PARLAMENTO CONTRA A SOCIEDADE

É um mito que o Parlamento responde às vozes da sociedade, das ruas.  A maioria dos parlamentares só tem algum contato (indireto, obviamente) com o cidadão por ocasião das eleições.  No resto do tempo, o cidadão, o eleitor não existe. 

A pesquisa da Data Folha divulgada ontem (13/12/2016) mostrou que 60% da população é contra a PEC e 20% não sabe.  O que significa que a rejeição pode ser de até 80%. 

O próprio Senado Federal, através de seu site, fez uma enquete e o resultado foi de 90% contra a
PEC.  O que está proximo do resultado do Datafolha.  A votação demonstra que o Parlamento não é sensível à vontade popular e não tem o menor pudor em aprovar uma medida totalmente contra a vontade da sociedade. 

REFLEXÕES SOBRE IDEOLOGIA PARTIDÁRIA

Algumas reflexões é fundamental, neste momento.  Os partidos que defendem os trabalhadores e uma sociedade menos perversa, menos desequilibrada socialmente e economicamente, como temos visto, se reduziram a apenas 2, o PT e o PCdoB.  

Partidos historicamente posicionados à esquerda, hoje estão todos do lado conservador e votando contra os trabalhadores e contra as classes mais desfavorecidas, como o PSB, o PV e até o PDT. 

A sociedade foi vitima de um golpe de estado, praticado pelas elites burguesas e executado pelos partidos conservadores e os mais poderosos e mais  bem remunerados setores do estado que são a Polícia Federal, o Ministério Público e o Judiciário. 

Não há porque o PT e o PCdoB, ficarem fazendo oposição no Congresso.  Primeiro porque tem sido inútil em função do desequilíbrio de forças.  Segundo porque esse governo é ilegítimo, e ao fazer o papel de oposição, na verdade está co-validando ou legitimando esse governo espúrio. 

Penso que os partidos que são comprometidos com a Democracia, com os trabalhadores, com as minorias, com as classes marginalizadas e com a sociedade em geral de forma civilizada, têm que se abster de toda votação.  Têm que cruzar os braços e só agir no sentido do aborto do golpe e o retorno da democracia. 

Ao fazer oposição, lutar para que medidas contra o povo não sejam aprovadas, estão na verdade, fazendo o jogo deles.  É preciso deixar que eles se enforquem a si mesmos.  Mas para que isso aconteça, é preciso que o povo sinta, na pele, quem são essas pessoas (parlamentares e altos funcionários públicos) e o que eles estão fazendo. 

Muitas vezes, o aprendizado vem com a dor, com o sofrimento.  Um discurso, um exemplo não resolve, as pessoas tem que vivenciar, experimentar, sentir a dor ou o prazer da decisão tomada e o apoio dado. 

Em relação a essa votação, especificamente, cabe refletir sobre o posicionamento ideológico de cada partido.  Uma medida como a PEC 55, que atinge nas vísceras do trabalhador, do aposentado e do cidadão mais carente é um fiel da balança para se medir a postura ideológica dos partidos.

Um partido que vota 100% a favor de um medida tão drástica como essa não é uma partido de direita, mas sim de extrema direita.  Um partido de direita que sempre defendeu a livre iniciativa, o sistema de mercado, a propriedade privada, mas tinha um certo nível de consciência social, ambiental e tinha preocupação também com a soberania nacional é o PMDB. 

Pela votação vemos que somente o PT e o PCdoB foram 100% contra a medida.  Mas não foi só na votação, mas nos trabalhos de tentar sensibilizar os demais parlamentares a não cometer essa atrocidade.   Podemos considera o PT como de centro esquerda e o PC do B, com sendo um partido de esquerda.

O PSB, partido que outrora fora de esquerda, juntamente com o PMDB são hoje os partidos de centro direita, ou de direita. 

Os demais partidos, do PSDB, ao PV já se posicionam como de extrema direita.  Por enquanto é dificil saber quais partidos  possui mais parlamentares que tem a índole fascista, mas está claro, para mim, hoje, que o fascismo perambulam por esses partidos. 

Vejam como ficou a votação da PEC 55,  por partidos, no Senado Federal. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário