BOAS VINDAS

A idéia deste blog é a criação de um espaço para o questionamento de duas grandes forças das ideologias atuais: o Capitalismo e o Socialismo. Que, senão são coincidentes,não são também totalmente opostas. Terceira Via é nada menos do que uma Resultante dessas duas forças. Abrindo assim, um campo para o existência de uma opção, que não é uma coisa nem outra e ao mesmo tempo são as duas coisas. Eu acredito muito nessa vertente, como alternativa para convergir anseios de ambas as correntes. Num olhar metodológico, poderiamos enxergar essa possibilidade como uma demonstração empírica da dialética. Enquanto o Capitalismo está mais associado ao racional, à eficiência, à lógica; o Socialismo está mais associado ao nosso cognitivo, à sensibilidade, sentimentos, percepções, etc. Acredito ainda, que só a Democracia viabiliza essa vertente. A Ditadura, sem dúvida, enviesará para o socialismo ou para o capitalismo radical. ENTÃO SEJA BEM VINDO, COLOCANDO SUA CONTRIBUIÇÕES, SUAS IDÉIAS, SUAS DÚVIDAS, ETC. (Paulo Franco)

quinta-feira, 5 de junho de 2014

No dia do meio ambiente, ONU destaca estados insulares









Dia do Meio Ambiente aborda efeitos das mudanças climáticas nos pequenos estados insulares


Barbados, uma pequena ilha do Caribe na vanguarda da luta contra as mudanças climáticas, será a anfitriã nesse ano do Dia Mundial do Meio Ambiente, liderando os esforços das Nações Unidas para alertar para a situação das pequenas ilhas que sofrem um perigo real de desaparecerem por causa da elevação do nível do mar.

As Nações Unidas designaram 2014 como o Ano Internacional dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento e, por isso, a comemoração do Dia Mundial do Meio Ambiente nesse ano abordará temas relacionados aos esforços desses países para se adaptar às mudanças climáticas.

“As pequenas nações insulares compartilham um consenso de que nosso planeta precisa caminhar por um caminho sustentável”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, ressaltando que para alcançar esse objetivo é necessário o engajamento de todos os setores da sociedade.

“Este ano, incentivo que todos pensem sobre a situação difícil dos pequenos estados insulares em desenvolvimento e se inspirem em seus esforços para responder aos efeitos da mudança climática, fortaleçam a resiliência e trabalhem para um futuro sustentável”, pediu o chefe da ONU.

Lar para 62,3 milhões de pessoas, esses estados insulares desempenham um papel crucial na proteção dos oceanos e, apesar de contribuírem com menos de 1% para a emissão de gases de efeito estufa globais, são as nações que mais sofrem com as mudanças climáticas, devido ao seu pequeno território, localização remota e limitações econômicas.

Aumento do nível do mar

As restrições financeiras para tomar medidas eficazes de adaptação e mitigação de seus territórios também são apontadas como um problema para o futuro dessas nações. Pesquisas apontam que, até 2100, o aquecimento global pode levar a um aumento do nível do mar de até 2 metros, transformando muitos destes estados insulares, especialmente na região do Pacífico, em lugares inabitáveis.

Em sua mensagem para a data, Christiana Figueres, secretária executiva da Convenção-Quadro da ONU sobre Mudança Climática (UNFCCC), disse que, apesar dessas pequenas ilhas enfrentarem muitos desafios, elas também servem como exemplos “tanto moralmente quanto na prática” ao desempenharem um papel fundamental de conscientizar outras nações sobre os riscos e responsabilidades coletivas que devem assumir para encontrar respostas para essa realidade.

Já a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, alertou que a comunidade internacional não está fazendo tudo que poderia para prevenir os desastres ambientais e humanos que estão por vir. “Nossa principal tarefa é entender melhor os atuais fenômenos, por meio de pesquisa científica e compartilhamento de conhecimento”, destacou. Ela lembrou que é papel da UNESCO, por meio do Programa Hidrológico Internacional (PHI), melhorar as estratégias de gestão dos recursos hídricos nas ilhas e no mundo.

Sobre o tema desta ano – Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento e mudança climática – Bokova destacou que essas “pequenas ilhas” são, na verdade, “vastos estados oceânicos” cujas áreas terrestres são apenas parte de seu território e cujas experiências são “vitais para todos os habitantes de nosso planeta azul”. Ela lembrou ainda que a ação ambiental sustentável depende da educação de todos os cidadãos sobre desenvolvimento sustentável, “desde a mais tenra idade”.

PNUMA pede transição para ‘economia verde’


Segundo um relatório publicado também nesta quinta-feira (5), o aumento do nível dos mares nos 52 pequenos estados insulares – quatro vezes maior que a média mundial – causado pelas mudanças do clima é a maior ameaça a essas nações, seu meio ambiente e seu desenvolvimento.

Políticas e investimentos em energias renováveis e na transição para uma “economia verde”, no entanto, podem mudar esse cenário, concluiu o documento elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Durante o lançamento do relatório, a agência da ONU também anunciou o ator Ian Somerhalder – conhecido pelas series “The Vampire Diaries” e “Lost” – como seu novo Embaixador da Boa Vontade. A nomeação aconteceu em Bridgetown, a capital de Barbados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário